Assembleia nesta quarta-feira pode definir paralisação dos servidores da saúde de Curitiba

Propostas não agradam a categoria e sem acordo greve pode começar nos próximos dias

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) ainda não apresentou a proposta de isonomia entre os profissionais do programa Estratégia Saúde da Família (ESF), e a pauta dos servidores segue sem atendimento. Com isso o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (Sismuc) realiza assembleia nesta quarta-feira (29), que pode deflagrar a grave da categoria, que inclui profissionais da área de Odontologia.

Em reunião no último dia 23, que envolveu o sindicato, a SMS e o setor de recurso humanos da prefeitura, o Sismuc rechaçou a proposta da prefeitura para remuneração variável (IDQ), que limitou-se à Atenção Primária, e se submete à avaliação do desempenho do profissional. A proposta não satisfaz os trabalhadores.

Conforme a proposta a avaliação seria quadrimestral e está diretamente ligada à remuneração do servidor. De acordo com o Sismuc este método proposto pode levar a divergências entre as equipes. O sindicato prevê problemas e resistências por parte do servidor da capital e defende que o incentivo não passa por contingências salariais, o que na verdade deve ser um ganho incorporado para o servidor.

Além da falta da proposta da isonomia, que ainda pode sair antes da assembleia desta quarta-feira, a gestão não apresentou uma proposta concreta que contemple os 80% de ESF, o que indignou os representantes dos servidores presentes na mesa de negociação no dia 23.

A Assembleia da Saúde será realizada na sede da APP/Sindicato, na Avenida Iguaçu, 880, em Curitiba, a partir das 19 horas.

  • Fonte: Assessoria de Imprensa

Voltar

Lista de Notícias

Confira a lista completa de notícias

Notícias sobre o que acontece, novidades e muito mais.