Nível do I Encontro Londrinense de Odontologia Hospitalar supera expectativas

O I Encontro Londrinense de Odontologia Hospitalar foi um verdadeiro sucesso, com a presença de 60 profissionais nas palestras da Dra. Lilian Pasetti, Membro da Comissão de Odontologia Hospitalar do CFO e Coordenadora da Comissão de Odontologia Hospitalar do CRO-PR, da Drª Gabriela Fleury Seixas Prof.ª da UNOPAR e Coordenadora do Projeto de Odontologia Hospitalar da Santa Casa de Londrina e da Drª Jessica Scalco, Cirurgiã Dentista do Hospital do Coração.

De forma geral os presentes elogiaram o alto grau de entendimento e a quantidade de informações compartilhadas pelas palestrantes, que colocaram em perspectiva o universo da Odontologia Hospitalar, apresentando dados de pesquisas que apontam resultados extraordinários, como por exemplo, a redução drástica das pneumonias nas UTIs, a partir da implantação de equipes de saúde bucal nos hospitais.

Esses dados apontam para a importância dos cuidados odontológicos ao paciente, e por consequência, a importância da Odontologia Hospitalar na diminuição do surgimento de casos advindos de causas diferentes dos tratamentos principais e a diminuição de casos de mortes por complicações destas naturezas.

A Odontologia Hospitalar vem se mostrando uma necessidade real nas estruturas de hospitais públicos e privados e o CRO-PR tem dado especial atenção ao assunto, através da Comissão de Odontologia Hospitalar, da qual fazem parte a Dra. Lilian Pasetti (palestrante no evento), a Conselheira, Dra. Gilce Czlusniak, Dra. Nancy Barros, Dra. Fernanda Pavan Corrêa, Dr. Calixto de Araujo Hakim e Dr. André Vieira de Souza.

“O evento mostrou a importância da Odontologia Hospitalar, não apenas como mercado de trabalho, mas principalmente como benefício à população, pois a quantidade de vidas poupadas quando é dada a devida atenção aos cuidados de higiene bucal dos pacientes é muito grande” comentou o Secretário do CRO-PR, Dr. Claudenir Rossato. A Delegada do CRO-PR em Londrina, Dra. Lázara Rezende, que esteve à frente da organização do evento falou sobre o Manual de Odontologia Hospitalar elaborado pela comissão do CRO-PR e disse ainda que “vamos repetir esse evento e também aumentar a divulgação da necessidade das equipes de saúde bucal nos quadros dos hospitais particulares assim como da rede pública”

A nova gestão do CRO-PR tem em seu planejamento, apoiar a instalação de novos segmentos de trabalho onde a Odontologia precisa de reconhecimento, como a Odontologia nos Esportes, práticas integrativas, como acumpuntura, homeopatia entre outras e nos dia 7 e 8 de abril, o CRO-PR sediará o XIII Encontro das Comissões de Odontologia Hospitalar dos CRO’s, sendo a segunda vez que o encontro se realiza em Curitiba.

Confira como foi o evento:

Drª Lilian deu início ao encontro apresentando os conceitos e fundamentos que norteiam a prática da OH e o quanto a implantação e implementação dessa prática nas UTIs nos hospitais tem diminuído o índice de pneumonia associada à ventilação mecânica (PAVM),  tempo de internação em UTI e melhorado a saúde geral dos pacientes. Como consequência dessas melhoras, tem-se a diminuição dos gastos com internações. A Drª Lilian também destacou a necessidade da criação de protocolos para a realização dos atendimentos e finalizou sua apresentação mostrando interessantes casos clínicos frutos da sua atuação em UTI, em alguns casos foi devido sua assistência que a saúde do paciente foi recuperada.

Na Sequência, a Drª Gabriela apresentou sua experiência ao coordenar o Projeto Extensão de Odontologia Hospitalar do curso de Odontologia da Universidade UNOPAR no Hospital Santa Casa de Londrina desde de 2016. O projeto tem a participação de 42 alunos do último ano do curso de Odontologia, que recebem treinamento para a realização de higiene bucal dos pacientes internados em UTI, exame físico e descrição da evolução da condição bucal. Os alunos são divididos em equipes, que se revezam diariamente no atendimento aos pacientes. O projeto surgiu da necessidade em reduzir o índice de pneumonia associada à ventilação mecânica (PAVM). Após 8 meses de atuação do projeto, a Central de Controle de Infecção do Hospital Santa Casa constatou uma redução média de 80% da taxa de PAVM. Também foi elaborado um protocolo de atendimento. Drª Gabriela frisou o quanto o projeto tem contribuído para a formação dos alunos profissionalmente e também como pessoas. A rotina na UTI leva  o aluno a perceber a fragilidade humana e quando a odontologia pode contribuir para o conforto do paciente.

Para finalizar o encontro a Drª Jessica relatou sua experiência em ser uma Cirurgiã-Dentista contrata pelo Hospital do Coração de Londrina, hospital particular, para implantar a assistência Odontologia aos pacientes em UTI no ano de 2015. Objetivo principal era estabelecer uma rotina de higienização bucal através de uma equipe interprofissional - Enfermagem e Odontologia - para os paciente internados em UTI. À medida que a rotina de higienização foi sendo colocada em prática foram surgindo as dificuldades. Aspiração da saliva e do exsudato da cavidade bucal era o mais delicado. Após pesquisas, a Drª Jessica com apoio da Empresa DentalClean, produziu, a partir de um modelo importado, a escova com aspiração conectado a dispositivo de sucção a vácuo, a escova de cuidados especiais, que torna a higienização mais eficiente, segura e ágil. Conforme a assistência Odontologia era implementada, as taxas de PAVM diminuíram e o consequentemente houve redução no tempo de internação, como já mencionado pelas palestrantes anteriores.  Apesar de todos os avanços, a Drª Jessica salientou que OH não é meramente o Cirurgião-Dentista atuando no hospital, mas a Odontologia fazendo parte da rotina do hospital para o completo bem estar do paciente.

  • Fonte: Depto. Comunicação CRO-PR

Voltar

Lista de Notícias

Confira a lista completa de notícias

Notícias sobre o que acontece, novidades e muito mais.