Novo programa de saúde bucal irá beneficiar a população dos 399 municípios paranaenses

Rede de Atenção à Saúde Bucal pretende garantir qualidade, eficiência e eficácia nos serviços públicos da área

Mais de 800 pessoas, entre representantes de municípios e universidades e dirigentes de entidades ligadas à odontologia estiveram presentes no lançamento da Rede de Atenção à Saúde Bucal. O evento foi realizado em Londrina no último dia 3. Participaram da solenidade os representantes do Conselho Federal de Odontologia (CFO), Cesar José Campagnoli, e do Conselho Regional de Odontologia, Claudenir Rossato. 

A rede é considerada o maior projeto já lançado no Paraná na área de saúde bucal, e tem a finalidade de garantir mais qualidade, eficiência e eficácia nos serviços públicos.

Todos os 399 municípios do estado devem ser beneficiados com o programa. “Antes, não havia política de saúde bucal no Paraná. Em três anos, fortalecemos o apoio aos municípios, aos consórcios intermunicipais da saúde e com capacitação profissional. Este trabalho culmina agora, com essa Rede de Atenção à Saúde Bucal”, afirmou Michele Caputo Neto, secretário estadual da Saúde. 

De acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), hoje todos os municípios contam com dentistas na rede pública e 65% da população é atendida por equipes de saúde bucal. As novas unidades de saúde do Estado já são entregues com um consultório odontológico totalmente equipado. 

PARCERIA - Segundo o secretário estadual da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Carlos Gomes, a parceria com as universidades estaduais é um dos aspectos mais importantes da rede. As instituições de ensino superior do Estado receberão R$ 14,7 milhões para aderir ao programa, o que significa receber recursos para obras, equipamentos e oferecer cursos de capacitação que darão suporte para profissionais de odontologia dos municípios.  

No Paraná 260 municípios que já aderiram ao programa Telessaúde, e receberam câmeras intraorais, que permitem ao profissional de odontologia das unidades básicas aprimorar o diagnóstico com o apoio de especialistas das universidades estaduais. “Com a criação dessa rede, o Paraná se torna referência nacional na qualidade do cuidado da saúde bucal”, disse Maria Celeste Morita, presidente da Associação Brasileira de Ensino Odontológico e professora da Universidade Estadual de Londrina (UEL). 

INSTITUIÇÕES DE ENSINO – A rede é composta pelas universidades estaduais de Ponta Grossa (UEPG), Maringá (UEM), Londrina (UEL) e do Oeste do Paraná (Unioeste). “Essas quatro universidades são referências em Odontologia no Paraná”, disse o secretário João Carlos Gomes. 

A principal finalidade é fortalecer a integração ensino-serviço e permitir a capacitação, somente em 2014, de dois mil profissionais de saúde bucal, como cirurgiões dentistas, técnicos em saúde bucal e auxiliares de saúde bucal. 

“Não há nada melhor que os alunos aprenderem a profissão na prática. Com essa rede, atingimos nível de excelência nos cursos de odontologia das nossas universidades”, destacou João Carlos Gomes. “O Paraná é o segundo estado com maior número de alunos nas universidades estaduais. São 85 mil estudantes. Isso demonstra o apoio que o ensino superior tem do governo estadual e esse apoio tem que voltar à população na forma de serviços, que se configura em trabalhos conjuntos, como os da saúde”, afirmou. 

De acordo com Michele Caputo Neto serão investidos R$ 8,5 milhões na construção da clínica odontológica da UEL e repassados R$ 3 milhões para as outras três universidades, para adequações das clínicas odontológicas, aquisição de equipamentos, custeio das unidades e cursos de capacitação. 

Ainda estão previstos mais de R$ 2 milhões em investimentos na expansão das equipes de saúde bucal e outros R$ 900 mil para implantação dos Centros Regionais de Especialidades Odontológicas, vinculados aos consórcios intermunicipais. 

PREVENÇÃO - Desde 2011, o governo estadual repassa R$ 480 mil ao ano para os consórcios intermunicipais de saúde custear os Centros de Especialidades em Saúde Bucal. O Paraná também investe R$ 300 mil por ano na prevenção do câncer de boca, por meio da destinação de três mil conjuntos de diagnósticos para as unidades de saúde.

Hoje, 800 mil estudantes de 6 a 15 anos, de escolas públicas municipais e estaduais, participam de ações semanais como o bochecho com flúor. Implantada em 1982, no governo de José Richa, a iniciativa é considerada referência nacional no setor. 

Há pouco mais de um ano, em março de 2013, foi lançado o programa de detecção precoce do câncer bucal, por meio do uso de um teste rápido disponível nas 2.570 unidades básicas de saúde, em todo o estado. O Paraná também é um dos estados com a maior cobertura de fluoretação das águas de abastecimento público, com 96% dos municípios sendo beneficiados. 

Participaram ainda da solenidade de lançamento da rede o coordenador de saúde bucal da Sesa, Leo Kriger; o presidente do Conselho Estadual de Saúde, Antônio Neto, e reitores das universidades.

  • Fonte: Assessoria de Imprensa

Voltar

Lista de Notícias

Confira a lista completa de notícias

Notícias sobre o que acontece, novidades e muito mais.