CRO/PR cria comissão para emitir parecer sobre proibição do uso de amálgamas de mercúrio por dentistas

A proibição seria válida para todos os procedimentos odontológicos de manipulação e preparo com o produto

O CRO/PR criou uma comissão para analisar o projeto de lei, em discussão na Câmara dos Deputados, que proíbe a utilização de amálgama dental, composto por mercúrio, para restauração dentária, em todo o território nacional. O projeto de lei é do deputado Luiz Nishimori (PR-PR).

A proibição seria válida para todos os procedimentos odontológicos de manipulação e preparo de amálgama com uso de mercúrio, incluindo os realizados por auxiliares e técnicos em saúde bucal e próteses dentárias.

Segundo o autor, a proibição pretende proteger a saúde dos profissionais da área odontológica e pacientes, bem como o meio ambiente, do contato direto com o mercúrio.

O mercúrio é considerado o segundo metal não radioativo mais contaminante que existe. Existe na natureza em três formas básicas: mercúrio elementar ou metálico, mercúrio inorgânico (sais de mercúrio) e orgânico (metilmercúrio).

O mercúrio elementar é absorvido pelo organismo, o que pode resultar em graves desordens neurológicas.

O projeto será analisado conclusivamente pelas comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

A comissão do CRO/PR, designada pela portaria 17/2015, é composta pelos cirurgiões-dentistas Roberto Eluard da Veiga Cavali (presidente), Andresa Carla Obici, Renato Leite Rosa e Ubiracy Gaião.

  • Fonte: Assessoria de Imprensa

Voltar

Lista de Notícias

Confira a lista completa de notícias

Notícias sobre o que acontece, novidades e muito mais.